Entendendo o arquivo fstab

De Fórum Debian Wiki

Índice de conteúdo

Introdução

O fstab ( /etc/fstab ) é um arquivo presente no sistema operacional Linux que contém todas as informações sobre mídias e partições do seu computador. Ele é utilizado juntamente com o mount, que geralmente lê no fstab informações como: onde montar a partição X e como montar.

Você pode abrir o seu fstab com qualquer editor de texto comum. No entanto para editá-lo é necessário estar logado como root.

Exemplo de fstab

Aqui está um exemplo de um arquivo fstab e como ele se parece:

# /etc/fstab: static file system information.
#
# <file system> <mount point>   <type>  <options>       <dump>  <pass>
proc            /proc           proc    defaults        0       0
/dev/hda1       /               reiserfs notail          0       1
/dev/hdd /media/cdrom1 iso9660 users,rw,user,exec,noauto 0 0

Cada linha representa um dispositivo e as informações sobre ele. Abaixo você poderá saber mais informações sobre cada coluna.

Coluna 1: file system

Essa coluna é o nome do dispositivo. Ao usar o mount você deverá informar esse nome para que ele saiba o que montar. Por exemplo:

mount /dev/hdd

Montaria o nosso cdrom, conforme o exemplo acima.

Coluna 2: mount point

Essa coluna informa o ponto de montagem do dispositivo. É o caminho onde o dispositivo será montado e estará disponível.

Seguindo o mesmo exemplo acima, o nosso cdrom seria montado em /media/cdrom1 pois é o caminho que foi escolhido para ele.

Coluna 3: type

A terceira coluna especifica o sistema de arquivos da media (dispositivo) ou da partição. O linux oferece suporte a vários sistemas de arquivos. Os principais são os seguintes:

Ext2 - esse é o sistema de arquivos padrão, comumente usado pelo linux.

Ext3 - sistema de arquivos desenvolvido por Stephen C. Tweedie, que acrescentou recursos ao Ext2 (journaling, por exemplo). O journaling nada mais é do que um registro de transações cuja finalidade é recuperar o sistema em caso de desligamento não programado. Em resumo, o Ext3 é confere mais confiabilidade ao sistema de arquivos.

Ext4 - evolução do sistema de arquivos anterior, que se limitava a partições de, no máximo, 32 TB (terabytes) manipulando arquivos de até 2 TB. O ext4 cria partições de 16TB e manipula 1024 PB.

Reiserfs - assim como o sistema de arquivos Ext3, também tem suporte a jornaling e outros recursos. Distribuições como o SuSe começaram a utilizá-la como padrão.

Swap - Área de troca - Quando o sistema não dispõe de memória RAM suficiente, passa a utilizar uma parte do disco rígido para guardar algumas informações.

Vfat - A File Allocation Table (FAT, ou Tabela de Alocação de Ficheiros/arquivos) é um sistema de arquivos desenvolvido para o MS-DOS e usado em versões do Microsoft Windows até (e inclusive) o Windows Me. O linux tem suporte para esse sistema de arquivos, o que o permite ler os correspondentes arquivos. Esse sistema é frequentemente usado em disquetes e pen-drives.

Ntfs - Assim como o Ext2 passou por evoluções, o sistema FAT também. O NTFS utiliza algumas estruturas em 64 bits. Teoricamente, o NTFS poderia suportar volumes com até 16 EB, mas a implementação atual limita um volume a 256 TB, se forem usados blocos de 64 KB, ou 16 TB, quando o tamanho do bloco for de 4 KB; o tamanho máximo de um arquivo é de 16 TB.

Coluna 4: options

Coluna 5: dump

Coluna 6: pass

Ferramentas pessoais